Desabafo de um ex-estudante internacional

Desabafo de um ex-estudante internacional

26 de Fevereiro, 2021 0 Por Diogo Teixeira

Data: 15 de Agosto de 2020

Em setembro de 2016, iniciei o meu percurso académico, numa casa que em 4 anos se tornou mais especial do que eu alguma vez ia imaginar.

Conheci centenas de pessoas com um espírito lindo, descobri o que me apaixona, vivi experiências inesquecíveis e também fui um estudante internacional através do programa ERASMUS+ durante a minha licenciatura.

Eu antes de ter ingressado no ensino superior, nunca tinha saído de Portugal. Nem nunca tinha considerado fazer uma mobilidade de estudos – isso aterrorizava-me. Se me tivessem dito há 5 anos atrás que eu teria um blog de viagens e viajar seria a minha maior paixão, eu ria-me na vossa cara. Não era nada do que eu pensara para mim.

Mas este desabafo só para vos contar como a minha experiência de estudante internacional me mudou completamente e moldou a pessoa que sou hoje.

O meu primeiro ano no ensino superior foi péssimo. Não consegui integrar-me. E adivinhem de quem era a culpa? Minha. A minha vida era ir às aulas e voltar para casa de segunda a sexta e jogar jogos de computador ao fim de semana.

Durante o verão de 2017 decidi que não queria mais isto para mim. Queria divertir-me, aproveitar a vida e descobrir coisas novas! E este pensamento surgiu depois de eu ter visto uma série de vídeos dos meus youtubers favoritos Yes Theory. Se são fãs, vão perceber porque digo isto.

Então juntei-me à Comissão de Apadrinhamento de Estudantes Internacionais da minha faculdade. Basicamente eu iria ser o padrinho de alguns estudantes internacionais no primeiro semestre. E o que aconteceu depois disso, é história.

Ao mesmo tempo juntei-me à praxe (como caloiro de segundo ano, mas isso será outra história). Fui padrinho de 8 estudantes erasmus nesse semestre e ia mais a festas do que propriamente às aulas. E ainda assim, consegui muito melhores notas do que no primeiro ano!

Depois de apenas um mês a viver intensamente com a comunidade internacional, decidi que eu também queria ser um estudante internacional. E, por isso, candidatei-me para ir para a República Checa no terceiro ano. Novamente, o resto é história.

O ano passou a correr. Mal dei por mim, já estava no avião para estudar fora durante 5 meses. Meses esses que também passaram a correr e mal dei por mim já estava em Portugal a chorar para voltar.

Viver por conta própria no estrangeiro pela primeira vez, principalmente como estudante, é algo inacreditavelmente incrível. Tornei-me uma pessoa muito mais madura, focada e com um bichinho louco por aproveitar a vida. Para não falar de todos os países e culturas que conheci e as amizades que fiz! Amizades essas que muitas prevalecem até hoje e muitos deles até já visitei nos seus próprios países.

Agora, num verão atípico, dou por mim a pensar no quanto fui feliz e no quanto esta decisão teve um impacto enorme na minha vida. Tudo graças a uns vídeos no youtube de algum pessoal inspirador.

Também dou por mim a pensar que este é o meu último ano de faculdade e que se quiser tenho a hipótese de fazer outra mobilidade de estudos para 2021. Viver tudo outra vez, numa cidade diferente, num país diferente.. mas claro, uma experiência que não será a mesma devido à pandemia.

Se há algo que os Yes Theory me ensinaram foi a dizer que sim. Parece que não mas o SIM é muito poderoso. E eu aprendi a dizer que sim mais vezes. E apenas isso já me fez viver a vida de uma forma que nunca antes parecia possível.

Isto tudo para te dizer para não pensares duas vezes. Se queres estudar fora, vai. Mesmo no meio de uma pandemia. Se não tens mais oportunidades, agarra na que tens AGORA.

E tu Diogo, vais agarrar a oportunidade? Neste momento, a minha vida profissional está a tomar conta de mim. Fazer outra mobilidade em 2021 seria de loucos. Mas sim, vou agarrar a oportunidade. Não só gosto de viver a vida ao máximo, como gosto de enfrentar desafios e este será um dos grandes.

Por isso, isto não só é um desabado de um ex-estudante internacional como também de um futuro estudante internacional (espero eu!).

Corre atrás dos teus sonhos. Eu farei o mesmo. Vamos fazê-lo juntos!

Update: 24 de janeiro de 2021

Meses após ter recebido a confirmação de que ia estudar para Lodz, decidi cancelar. A pandemia não abrandou. Eu não iria gostar de estar em erasmus de uma forma tão restrita sem poder viajar ou sair com os amigos. Mas se as coisas correram desta forma era porque tinham de acontecer. Agora tenho um emprego que adoro e outras ambições. Mas o mote é o mesmo – corre atrás dos teus sonhos.