Após o COVID-19, viajar não vai ser a mesma coisa

Após o COVID-19, viajar não vai ser a mesma coisa

26 de Maio, 2020 0 Por Diogo Teixeira

Como é de conhecimento de todos nós, a vida não vai ser a mesma após esta pandemia que arrasou vidas, economias e sonhos. Tudo irá sofrer alterações de forma a estarmos bem adaptados à nova realidade. Como tal, a forma como viajamos também não será igual.

A indústria do turismo foi um dos setores mais afetados em todo mundo. Estima-se que cerca de 1 milhão de empregos, diretamente relacionais e dependentes do setor, em todo o mundo foram extintos. As agências, os alojamentos, os transportes, e muitos outros enfrentam agora o grande desafio da adaptabilidade perante a crise.

Hoje, trago-vos aqui as maiores mudanças que vão correr no setor, tal como as novas formas que todos nós vamos ter de adotar para retomar a nossa atividade como viajantes.


Aeroportos.. ainda mais antecedência

O pior dos aeroportos é mesmo o tempo de antecedência que precisamos de lá estar antes do voo. Infelizmente, agora vamos precisar de chegar ainda com mais antecedência.

De forma a assegurar o distanciamento social, irão existir filas mais organizadas, com maior espaçamento entre as pessoas tanto na segurança como no boarding. Nunca mais vamos ver os ajuntamentos de pessoas nos espaços de boarding. As pessoas vão começar a entrar um a um e o processo de segurança irá ser muito mais demorado.

Isto sem contar com eventuais medidas para medição de temperaturas ou testes rápidos que algumas companhias pretendem incorporar.

E claro, o uso de máscara obrigatório na maioria dos voos por enquanto.


O turismo local e rural vai passar a ser mais comum

Muitas pessoas não se encontram preparadas para entrar num avião ou para sair do país nos próximos meses. Apesar de todas as tentativas das agências, não existe confiança e sentido de segurança suficientemente grande.

De acordo com um estudo realizado pela Longwoods Int’l and Miles, o turismo local cresceu cerca de 22% – isto porque os viajantes substituirem os voos ou autocarros de longa distância pelos próprios veículos ou alugueres dos mesmos.

As famílias e grupos de amigos, preparam-se assim para adotar uma nova tendência – viajar dentro do próprio país pelos próprios meios. Isto também causa um impacto positivo nos alojamentos do interior ou de áreas menos frequentadas por turistas anteriormente.

Relativamente aos voos domésticos, também se registou uma alteração de cerca de 11% de viagens internacionais para nacionais. Conclui-se assim que os viajantes preferem ficar “dentro de portas” e evitar serem apanhados de surpresa longe de casa, caso venha uma segunda vaga.


Road Trips – A nova tendência

Naturalmente, as road trips vão ser um conceito mais adotado pelos viajantes, principalmente os mais aventureiros.

Os alugueres de autocaravanas e veículos no geral, foi bastante impactado nos últimos meses. Contudo, regista-se agora um pequeno crescimento, como foi referido no ponto anterior. As pessoas preferem utilizar os seus próprios meios para se deslocarem e as road trips permitem também com que as pessoas acedam a lugares mais remotos e com muitos menos pessoas do que o habitual centro turístico.

Existem várias soluções disponíveis, e em conta, para fazerem um aluguer para os próximos meses.


O verão não vai ser o que era

Pelo menos este verão, não vamos para qualquer praia no mundo e muito menos ocupar qualquer sítio na areia.

Em Portugal e em vários outros países europeus (especialmente do sul), as praias encontram-se com restrições ao mais alto nível, como por exemplo o número de pessoas, distanciamento previamente estabelecido, segurança reforçada e controlos em todas as entradas e acessos às praias.

Além disso, o medo prevalece na mentes das pessoas. Irão existir cuidados nunca antes vistos, tanto nas praias como nas esplanadas junto às mesmas. Acabou-se os sunsets na areia cheios de gente, por enquanto.


Nova oportunidade para os consultores de viagens

Por outro lado, surge uma oportunidade para os consultores de viagens lançarem-se agora mais do que nunca. Vai ser cada vez mais normal as pessoas recorrerem a consultores devido a todas estas novas mudanças.

Não existe imensa informação disponível. As pessoas não se sentem seguras e preferem falar com um especialista e alguém atento para terem a certeza que as suas férias vão ser bem passadas e de mente tranquila.

Muitos consultores têm notado que a sua alteração de posicionamento tem sido muito benéfica pois possuem agora mais pessoas interessadas nos seus serviços, comparativamente com a mesma altura no ano passado.


Maior flexibilidade com marcações

Será perfeitamente normal começar a ver as agências de viação e alojamentos a oferecer cancelamentos gratuitos, reembolsos ou flexibilidades de outro género.

Todos os negócios do setor vão precisar de ganhar a confiança das pessoas e apresentar soluções destas já permite haver uma segurança para o consumidor. Quem não apresentar flexibilidade, muito provavelmente vai enfrentar muitas dificuldades comparativamente à sua concorrência.

Isto porque o principal desafio neste momento é transmitir às pessoas um sentimento de segurança. Todos estão com receio de se meter em seja o quer for. As fronteiras podem fechar a qualquer momento com a hipótese de uma segunda vaga e ninguém quer arriscar.


Proteção de preços

Muitos transportes de passageiros estão a tentar ao máximo manter os preços que tinham antes da pandemia. Contudo, com o grande impacto que toda a situação teve na sua estrutura, não será tarefa fácil.

Uns estão a optar por fazer descontos ridículos para viagens que apenas irão acontecer daqui a um ano, enquanto outros estão a fazer disparar os seus preços para viagens disponíveis a curto prazo. E o que está a acontecer? Ambas as estratégias estão a fazer com que todos os voos e autocarros esgotem – o tal “Travel Boom” que muitos antecipavam.

No meio disto tudo, o objetivo comum a médio prazo será voltar à normalidade dos preços praticados anteriormente.


Seguros de viagem

Os seguros de viagem vão ser agora indispensáveis para a grande maioria das pessoas. A insegurança reina na mente, tal como a incerteza paira em todos os cenários.

Ninguém quer ser apanhado de surpresa com gastos médicos extra no estrangeiro (caso tenha a infelicidade de contrair o vírus) ou com transportes de urgência de última hora para voltar. Novamente, cenários muito improváveis mas que são um fruto do medo gerado nos últimos meses.

Felizmente para todos os viajantes, a IATI Seguros possui vários planos para todos os tipos de viajantes. Vários destes planos cobrem gastos relacionados com contração do vírus COVID-19.


Tempos extraordinários, requerem mudanças profundas. Estamos a viver alturas complicadas onde todo o tipo de cenários podem acontecer.

Isto irá ficar na história. Tal como houveram mudanças na forma como se viaja após o 11 de setembro e a crise de 2008/2009. Será necessário restaurar a confiança, assegurar a segurança e ser responsável – mas isso, claro, irá depender de todos nós.