O pânico é pior do que qualquer vírus – A verdade sobre o COVID-19

O pânico é pior do que qualquer vírus – A verdade sobre o COVID-19

Março 9, 2020 0 Por Diogo Teixeira

Parece que estamos perante algo nunca antes visto. Bem.. por acaso já passamos por algo bem pior.

O novo vírus Covid-19 é, sem dúvida, um problema grave. Num curto espaço de tempo alastrou-se por mais de 80 países, infectou mais de 100.000 pessoas e causou mais de 3.000 mortes.

Mas o que é verdadeiramente grave nisto tudo é o alarmismo. No meio de tanta informação, passa a estar presente a histeria nas redes sociais, o exagero, a manipulação dos dados e consequentemente, ninguém sabe o que é verdade ou mentira.

Apesar da gravidade que este vírus possui, existe muita informação essencial que é desconhecida por parte da maior parte da população. Informação que não justifica todo o pânico que está a ser gerado.

Nestas últimas semanas tenho estado atento à informação verdadeira que é transmitida e venho neste artigo partilhar informações e dados reais de fontes fidedignas, medidas verdadeiras de prevenção e razões para não se entrar em pânico.


Afinal, o que é exatamente o COVID-19?

Citando o Serviço Nacional de Saúde:

“COVID-19 é o nome oficial, atribuído pela Organização Mundial da Saúde, à doença provocada por um novo coronavírus (SARS-COV-2), que pode causar infeção respiratória grave como a pneumonia. Este vírus foi identificado pela primeira vez em humanos, no final de 2019, na cidade chinesa de Wuhan, província de Hubei, tendo sido confirmados casos em outros países.”


Quais são os sintomas?

Citando a Direção Geral de Saúde:

As pessoas infetadas podem apresentar sinais e sintomas de infeção respiratória aguda como febre, tosse e dificuldade respiratória.


Devo viajar?

Segundo a Organização Mundial da Saúde:

Não se recomendam restrições de viagens, comércio ou produtos, de momento e com base no conhecimento atual.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros informa sobre viagens à China  e a países da região: “Nas presentes circunstâncias, desaconselham-se todas as deslocações à Província de Hubei e viagens não essenciais à China. Esta recomendação tem em conta os potenciais riscos para a saúde e as presentes limitações à circulação no país, incluindo ligações aéreas domésticas e internacionais … e recomenda prudência nas viagens a países que se encontram geograficamente próximos da China, que pela sua situação geográfica e condicionalismos locais se encontrem mais suscetíveis a uma disseminação do surto.”


Como se pode contrair o COVID-19?

De acordo com as fontes mencionadas acima, apanhar este vírus não é assim tão fácil e pode-se mesmo evitar caso sigamos as recomendações, sendo que a lavagem frequente das mãos é o mais recomendado – algo que já devia ser feito no nosso dia-a-dia.

Para sermos considerados suspeitos de alto risco, precisávamos de viver com alguém infetado e ter contacto físico com esta pessoa, estar no raio de tosse ou espirros de outra pessoa ou estar frente-a-frente com alguém infetado durante mais de 15 minutos. Ou seja, isto não é algo que se contrai por apenas passar por alguém infetado na rua, o que faz com que o vírus seja mais difícil de contrair do que tem sido dito pela população e comunicação social no geral.


Porquê que não devemos entrar em pânico?

Por várias razões, tais como:

  • O vírus é bastante conhecido. Foram apenas precisos 7 dias para identificar este vírus em 2019 e outros 3 dias para obter a sequência genética do mesmo. Por outro lado, o HIV levou dois anos para ser identificado.
  • Existiram testes fiáveis para sabermos se estamos infectados, poucos dias aós a identificação do vírus.
  • Na grande maioria dos casos, os sintomas são muito leves. Apenas 5% dos casos foram critícos com cerca de metade deles resultarem em morte.
  • A taxa de mortalidade a menores de 40 anos é de 0,2%. Sendo a atual taxa de mortalidade total de 3.4% (a maioria das mortes encontra-se na faixa etária acima dos 80 anos).
  • Já existem protótipos de vacinas, algumas das quais estarão brevemente disponíveis para serem testadas em humanos.

Dados importantes (09/03/2020)

  • Número de casos confirmados: 111,387
  • Número de casos recuperados: 62,392
  • Número de mortes: 3,892
  • Número de casos confirmados na China: 80,735
  • Número de casos recuperados na China: 46,488
  • Número de mortes na China: 3,008

De relembrar que a China tem cerca de 1,34B de pessoas e apenas 80,735 foram infetadas. De momento, existem mais pessoas a recuperar do que pessoas a serem identificadas com COVID-19 nos últimos dias.


Que fontes devo consultar para me manter bem informado?

Primeiro, recomendo a não acreditarem no que aparece nas redes sociais pois muitos websites estão a aproveitar o momento para publicarem muitas fake news. Além disso, mantenham-se afastados da Comunicação Social por enquanto. Isto porque a sua grande maioria tem apenas comunicado as más notícias (como por exemplo, o número de infetados aumentou em 5%) em vez das boas notícias (como por exemplo, no mesmo dia 10% dos infetados recuperaram). Todas estas fontes estão a contribuir para o pânico, daí muitos eventos estarem a ser cancelados, muitos alunos a serem prejudicados e outras entidades a verem o seu trabalho ir por água abaixo.

De quaquer forma, não é preciso muito para se manterem bem informados. Basta consultarem regularmento:


Observação: Este pequeno artigo apenas serve para responder a perguntas básicas e redirecionar os leitores para fontes credíveis acerca deste tema.

Ofertas de viagens & dicas para poupares!

Inscreve-te e recebe várias ofertas de viagens, dicas para poupares em viagem, descontos e novidades todas as semanas.

Concordo em partilhar a minha informação MailChimp ( Mais informações )

A tua informação é confidencial e nunca será partilhada.