Youth Exchange – Istambul, Turquia

Youth Exchange – Istambul, Turquia

Outubro 4, 2019 0 Por Diogo Teixeira

ERASMUS+ – Training Course “Enterprise 101”

Há uns meses atrás candidatei-me a um Training Course financiado pelo programa ERASMUS+ que encontrei num grupo de Facebook. Já falei destas oportunidades de mobilidade noutro artigo sobre formas gratuitas de viajar para jovens trabalhadores e estudantes.

Porque me candidatei? Várias razões, contudo o tópico e o local em si foram os fatores mais importantes para mim. Primeiro, iria ter a oportunidade de visitar uma das cidades que mais antecipava e é sempre uma boa ideia viajar, seja para onde for. Segundo, porque iria ter a oportunidade de fazer networking com jovens trabalhadores e profissionais em várias áreas mas onde todos se focam no empreendedorimos e em pensar fora da caixa para alcançar o sucesso.

Por isso, hoje venho aqui falar da minha experiência na minha primeira mobilidade de curta duração onde tive a oportunidade de não só aprender mas também partilhar conhecimento e histórias com os restantes participantes.

Desta vez, decidi escrever um género de diário ao longo daquela semana. Desta forma não iria esquecer nenhum detalhe quando fosse escrever este artigo e poderia transmitir exatamente o que estava a sentir em cada um dos dias.

Apresentaçao do Training Course. Fonte: @youthorgtr (Instagram)


24.09.2019 – Terça-feira – 10h00

“São 10h00. Estou no primeiro avião do dia para Basileia onde vou fazer escala para o segundo avião em direção a Istanbul.

Sinceramente, ontem não estava com vontade de fazer esta viagem. Para ser sincero, continuo a não ter vontade e não sinto entusiasmo nenhum. Tive uma semana difícil e só me apetecia aproveitar o dia para dormir. Mas a verdade é que não tivesse esta viagem marcada, estaria na quinzena de receção ao caloiro. Hoje seria o leilão e provavelmente seria mais desgastante para mim do que isto.

Ainda falta 1h30 para aterrar em Basileia. Como nunca tenho nada para fazer dentro de aviões, ponho-me a escrever. É algo que faço e ajuda a passar pelo menos uns 15 minutos.

Enquanto isso, tento ganhar entusiasmo para esta semana que espero que seja bastante leve. Apesar que mal chege a Istanbul, apenas faço check-in no hostel e vou logo ter com uns amigos turcos. Contudo, amanhã é manhã livre, dependendo do check-out que espero que não seja demasiado cedo como já aconteceu.

Um dos meus amigos disse-me que escolhi a melhor área para ficar a dormir esta noite. Fico um pouco contente por isso. Outra amiga avisou-me que se precisar de ajuda, qualquer estranho vai tentar ajudar-me. É reconfortante mas hoje é um dia não para mim. Só queria mesmo estar em casa a dormir. Pode ser que isso mude quando chegar.”


24.09.2019 – Terça-feira – 16h00

“São 16h00. Já estou no segundo avião, desta vez em direção a Istanbul. Estou sentado ao lado de um casal turco muito simpático e vamos comunicando por gestos. Já percebi que ele tem medo de voar. Mal o avião começou a levantar, ele não parava de abraçar a sua mulher. Eles já têm uma idade e acho mesmo muito bonito ver isto – viajam em conjunto ainda e transmitem a sensação que estão sempre ali um para o outro.

Falando de mim, a chegar à Suiça não correu bem. Primeiro, não podia ir para a minha conexão logo após sair do meu avião porque não dá. Perguntei a um funcionário como fazia e ele disse-me que tinha de ir lá fora, passar a segurança outra vez e voltar para dentro. Mas que estupidez, não? Depois, fiquei naturalmente com fome. Mas o mais barato que encontrei foi uma pequena sandes a 10€. Decidi então seguir para a porta de embarque e ver o que havia por lá.

Antes de entrar na área onde estava a porta de embarque, os nossos passaportes são verificados pela policia. Sem problema – lá mostrei o passaporte e o agente perguntou-me porquê que a pessoa no passaporte era tão diferente de mim. Desta eu não estava mesmo à espera. Apenas lhe disse que a minha barba estava maior e nada mais mudou. Lá me deixou passar depois de eu dizer isto. Talvez ele estivesse a brincar mas tinha sempre uma cara séria.

Depois de chegar à porta de embarque, encontrei uma máquina com kinder buenos a 1,50€ que aceitava cartão bancário. Que bom! Eu não tinha dinheiro comigo e este negócio é justo. Mas… a máquina não aceitou o meu cartão e nem sei porquê. Tentei perguntar a uma funcionária mas ela só falava alemão (sim, num aeroporto SUIÇO só falava alemão).

Enfim. Aqui estou no avião. Falta aproximadamente 1h30 para chegar. E como é obvio, não vou comer um schnitzel por 11€ que é o mais barato que há no menu a bordo apesar de estar faminto.”


25.09.2019 – Quarta-feira – 11h00

“Menos de 24 horas aqui e já tenho bastante a dizer. Mal saí do aeroporto, encontrei o autocarro que precisava de apanhar facilmente. Dirigi-me à máquina para comprar o bilhete e um rapaz muito simpático ajudou-me. Depois de entrar, comecei a procurar uma solução para chegar ao hostel pois não tinha wifi nem forma de contactar ninguém. O rapaz que me ajudou foi no mesmo autocarro que eu e viu que eu estava preocupado, por isso partilhou o seu hotspot comigo – literalmente um anjo caído do céu. Lá consegui dizer a quem estava à minha espera que estava tudo bem e coloquei o GPS em direção ao hostel.

Falei com o rapaz durante a viagem toda (que durou 1 hora). Eventualmente ele saiu antes de mim e até ficou cá fora à espera que o autocarro fosse embora e acenou-me do lado de fora – ele chamava-se Ufur. Obrigado pela ajuda!

Quando saí na minha paragem – em Kadikoy – o meu telemóvel decidiu ir abaixo. Voltei ao mesmo problema e estava perdido sem saber para onde ir. Percorri imensos cafés até finalmente encontrar um que me desse wifi. Lá tive de comprar qualquer coisa e fazer um registo manhoso com os meus dados para ter acesso.

O meu hostel fica numa zona muito barulhenta à noite. Está cheio de bares, restaurantes e discotecas que só fecham às tantas. Após o check-in, encontrei um Português no meu quarto que também tinha chegado ontem e ia ter também um training course daqui a alguns dias. Como estava com pressa pois os meus amigos estavam preocupados e à minha espera, convidei-o para vir jantar connosco.

O que dizer? Foi incrível reencontrá-los e reviver os mesmos momentos de ERASMUS na República Checa. Só nós, cerveja e uma boa conversa. Foram horas a  fio e eu apenas voltei ao hostel às 2 da manhã.

Agora de manhã, apenas tomei o pequeno-alnoço, respondi a alguns emails, tirei algumas fotos desde o rooftop do hostel e após acabar de escrever isto, vou andar um pouco à beira rio. A hora de nos encontrarmos para o training course ainda é daqui algumas horas portanto vou aproveitar um pouco.

P.S – Adoro os gatos! São todos muito amigáveis.”

Vista do topo do Rooftop do Hostel.

26.09.2019 – Quinta-feira – 14h40

“Aproveitei a tarde de ontem para dar um passeio à beira-rio na parte asiática. Durante 4 horas tirei muitas fotos e encontrei paisagens espetaculares, até conseguia ver algumas das ilhas turcas ao longe.

No caminho, encontrei dois rapazes estrangeiros e pedi-lhes para me tirarem algumas fotos – um era do Egipto e outro da Síria. Infelizmente, era muito tímidos e não consegui desenvolver conversa com eles apesar de falarem muito bem inglês, contudo fiquei com os seus contactos para lhes enviar algumas fotos que lhes tirei antes de os abordar.

Após esta caminhada, estava na altura de me juntar ao grupo do Training Course para irmos juntos para Polonenkoy que era onde iamos passar o resto da semana juntos. Os primeiros que conheci eram polacos e fui sentado ao lado de um deles no autocarro. Tivemos muito para falar pois ele fez ERASMUS em Aveiro e eu já estive na Polónia algumas vezes. Coincidentalmente, ele ficou designado como meu colega de quarto no hotel.

Depois o grupo reuniu-se todo para jantar. Foi muito agradável o ambiente e deu para nos conhercermos minimamente a todos. Estavamos todos muito cansados da viagem, por isso fomos para a cama cedo.

No dia seguinte (hoje) acordámos às 8h00 para tomar o pequeno-almoço e depois às 10h00 começou a primeira sessão do Training Course.

Nesta sessão, fizemos jogos de Team-Building para nos ficarmos a conhecer melhor e quebrar o gelo, sendo que o maior objetivo era decorar os nomes de todos. Depois tivemos um “Tea Break”, porque eles bebem muito mais chá do que café, logo tem este nome. Temos sempre um tea break após cada sessão.

A segunda sessão da manhã consistiu numa apresentação do Training Course e a calendarização da semana. Posso dizer que estou muito entusiasmado pelo que vamos fazer os próximos dias.

Depois fomos almoçar. O tempo para almoçar é sempre 2 horas portanto temos sempre muito tempo para descontrair.”

Uma das primeiras fotos de grupo. Fonte: @youthorgtr (Instagram)

27.09.2019 – Sexta-feira – 00h00

“As sessões da tarde foram divertidas mas pouco dentro do contexto do Training Course. Estamos todos um pouco desiludidos mas estamos com a expectativa de que apartir de amanhã vai ser mais sério.

Contudo, entre as sessões houve um terramoto de 5.6 na escala de Richter aqui em Polonezkoy. Sentiu-se bastante mas durou pouco tempo. Nada de mal aconteceu aqui e ficou tudo bem. Mas os meus amigos que estão no centro de Istanbul dizer que lá foi mais preocupante. Acredito que sim pois o centro é muito caótico a qualquer altura do dia, então com um tremor de terra…

No momento que estava a escrever isto, soube que houveram mais 2 terramotos há cerca de 30 minutos em Istambul. Foram tão pequenos que nem os senti. Aparentemente toda a gente está bem felizmente.”


28.09.2019 – Sábado – 00h30

“O dia de sexta-feira foi interessante. Não aprendi nada de novo de manhã na realidade mas nas sessões da manhã tivemos a definir a palavra “empreendedorismo” e os diferentes tipos que existem. Foi interessante ver que quase toda a gente dos diferentes países classificava esta palavra de forma diferente e cada um tinha a uma opinião diferente.

Na primeira sessão da tarde, foi-nos pedido para criar um negócio fictício ao preencher um Business Model Canvas. Esta estratégia de planeamento foi algo completamente novo para mim e provavelmente a informação mais valiosa que me transmitiram até agora. Na segunda sessão, tivemos um orador convidado, por isso foi-nos dito que apenas vamos trabalhar mais no nosso negócio amanhã.

O orador convidado era um Youtuber famoso na Turquia, com cerca de 140.000 subscritores, que produz vídeos de ASMR. Para quem não sabe, são aqueles vídeos onde o enfâse está no soms e por norma são bastante estranhos. Este youtuber veio-nos falar da sua experiência como youtuber e empreendedor (pois eles acham que os dois termos se relacionam), contando-nos todos os seus desafios e obstáculos que enfrentou para chegar até onde está.

Após o jantar, tivemos uma atividade à noite que se chamava “intercultural evening”. A ideia era os participantes de cada país trazerem algo típico e apresentar aos restantes participantes. Foi engraçado e eu experimentei literalmente tudo (até o álcool que quase toda a gente trouxe). Após as apresentações, tivemos uma pequena festa com música. Várias pessoas ainda estão lá e o meu colega de quarto ainda não voltou mas eu perdi o gosto a festas após tanto tempo nisto. Estou cansado e prefiro dormir.”

Sessão com o Youtuber. Fonte: @youthorgtr (Instagram)

29.09.2019 – Domingo – 14h50

“Ontem não escrevi, mas também não tenho nada de interessante para dizer. Foi um dia apenas com atividades desinteressantes de manhã e tarde livre. Foi-nos pedido para prepararmos para hoje uma soft drink para apresentarmos hoje de manhã aos grupos. A bebida que vendesse mais ganhava.

A minha equipa foi a terceira classificada (eramos 5 equipas) mas também tenho a impressão que nem todos se esforçaram ao máximo em todas as equipas pois estamos todos um bocado fartos disto.

Agora de tarde, vamos avaliar o Training Course e receber os Youth passes (certificados).

Tenho mesmo muito a dizer sobre este projeto. Primeiro, eu acho que o target não foi bem escolhido. Quando nos estávamos a candidatar ao projeto (em abril), o formulário apresentava alguns requisitos e deu a sensação que era algo apenas dedicado aos melhores dos melhores. A verdade é que o target que deviam ter seleccionado seria pessoal que acabou de sair do ensino secundário e que não tem experiência profissional. Daí a sensação que estamos ainda no ensino básico com todas estas tarefas que nos foram atribuídas. Depois, estávamos completamente isolados de tudo. Só há mato à volta, não há nada de interessante para fazer aqui sendo que nem o hotel não sabe recomendar nada, não existem transportes públicos para o centro de Istambul e, além disso, ficamos todos doentes por causa da comida ou higiene do hotel. Ah, e o wifi é horrível. Não consigo ligar a ninguém, responder a emails e nem trabalhar. Na avaliação que vai acontecer dentro de alguns minutos, sei que muita gente se vai queixar.”

Uma das minhas equipas de trabalho. “Turkito”. Fonte: @youthorgtr (Instagram)

30.09.2019 – Segunda-feira – 11h45

“Neste momento estou em Istambul, no centro. Já dei entrada no hostel e neste momento estou no rooftop onde apanho melhor internet.

Tenho uma grande mistura de emoções sobre o dia de ontem.. nem sei por onde começar.

A tarde começou ainda a falar sobre o negócio das soft drinks. Depois passamos para a última reflexão do projeto. Estava na altura de cada um dar as últimas palavras – o que quisesse.

Eu fui o segundo a falar e não disse nada do que queria dizer. Apenas disse que estava muito grato por ter conhecido um grupo de pessoas muito interessante, gostava de manter contacto e vê-los no futuro. Tudo isto é verdade mas faltava falar sobre o projeto em si. Quando chegou ao momento da verdade e não disse nada, por isso gostava de ter ficado mais para o fim para ganhar coragem.

Contudo, vários deles disseram os seus desagrados e fico contente que o tenham feito. Mesmo assim, há outra coisa que não gostei nada de ouvir por parte de uma das coordenadoras. Quando chegou a vez dela de falar, ela disse que com este projeto aprendeu que a Turquia não está preparada para vegans e vegetarianos e que na próxima divulgação de projeto, irá mesmo referir isso e que os participantes que foram vegans ou vegetarianos devem pensar duas vezes em ir à Turquia.

Bem.. eu nem soube como reagir. Na verdade, nenhum de nós soube. Um dos vegans disse que ela estava simplesmente a descriminar. Ela disse para não levar isto como algo pessoal. A verdade é que é bastante pessoal.

Mas, enfim. O projeto acabou. O adeus foi difícil pois as pessoas eram mesmo incríveis, genuínas e inteligentes. Foi uma pena não ter passado mas tempo com eles mas naquelas condições também preferia vir embora.

Agora estou em Istanbul a trabalhar no meu portátil. Não tenho muita vontade de ir visitar a cidade porque sei que vou voltar em janeiro e vou ficar muito mais tempo, por isso deixo isso para o próximo ano.

Hoje vou passar o dia com os meus amigos turcos e mais logo, ou amanhã continuo a escrever sobre o último dia desta pequena aventura.”

Última sessão do projeto. Fonte: @youthorgtr (Instagram)

01/10/2019 – Terça-feira – 10h30

“Estou no aeroporto. Falta 1h30 para o meu voo para Londres. Vai ser a minha primeira vez no Reino Unido mas infelizmente vai ser só para apanhar um voo de conexão.

Ontem passei o dia com uma amiga daqui. Não fizemos muito até porque ficamos no mesmo sítio apenas a conversar das 13h às 20h. Só mudamos de sitio para almoçar e jantar. Acho que nunca tive um conversa tão longa que não desse conta das horas a passar.

Ambos temos relações à distância e temos mesmo muita coisa em comum, por isso deu para ter uma conversa. Ela queria-me mostrar Istanbul mas eu estava tão cansado que disse-lhe que preferia apenas ficar num sitio qualquer a conversar. Além disso, vou voltar em janeiro e ficar cá 2 semanas, portanto tempo não vai faltar.

Depois disso, encontrei-me com outra amiga que conheci no Porto há 2 anos atrás. Sim, já não a via há 2 anos! Foi um reencontro que demorou algum tempo. Mas foi muito bom conversar com ela. Ambos temos muitas saudades de erasmus e temos os nossos objetivos para o futuro bem definidos.

E assim foi a minha semana. Agora apenas falta voar para Londres e depois para o Porto. Vou ter 5 horas em Londres e espero mesmo muito ter wifi e lugar para carregar o portátil senão vai ser uma grande seca.”


01/10/2019 – Terça-feira – 18h55

“Decidi escrever uma última vez. Faltam cerca de 40 minutos para aterrar no Porto, contudo o dia foi bem longo.

Acordei sobressaltado porque adormeci. Isto aconteceu porque esta noite a rua estava muito barulhenta mesmo, foi horrível. Mas eu ja tinha tudo pronto portanto foi só pegar na mochila, fazer check-out e ir embora.

Cheguei à estação de autocarro mesmo em cima da hora e não encontrei a máquina para comprar o bilhete por isso comprei dentro, era apenas 1TL a mais. Era tão cedo que não havia trânsito. Fiquei 4 horas no aeroporto sem net a olhar para as paredes. Podia ter ficado no hostel até mais tarde a tomar o pequeno-almoço gratuito ao qual tinha direito.

O meu avião para Londres atrasou-se 1h30 devido a uma avaria. Não fiquei preocupado porque tinha 5 horas de tempo de conexão. Mas, quando atterei oblhei para o telemóvel e já eram 16h50 e o meu avião para o Porto era às 17h20. Eu pensei logo que tinha confundido as horas quando olhei para os bilhetes, entrei em pânico e comecei logo a correr.

O Passport Control em Londres é feito por um sistema automático de comparação facial. Como é óbvio, não funcionou em mim por causa da barba e primeiro que convencesse o funcionário a ir para outro sítio fazer o controlo, foi difícil.

Já eram 17h10 quando fui ter com a polícia para fazer o controlo. Já tinha perdido a esperança e disse que estava preocupado pois perdi o avião das 17h20 e a agente, muito surpreendida, disse-me que apenas eram 15h15. Aparentemente o meu telemóvel não alterou a hora como costuma normalmente fazer porque ainda estava a mostrar a hora turca.

Que alívio! Lá segui a minha vida e percebi que este aeroporto é como o de Basileia – sem facilidade para conexões.

Vamos lá fazer a fila da segurança outra vez.. e posso dizer que esta passagem pela segurança foi a pior que já tive e acreditem que já tive várias más experiências nisto.

As minhas coisas passaram normalmente mas eu e o que trazia vestido, não. A única coisa que eu podia tirar do meu bolso era um pequeno papel que foi o que eu fiz. Por isso, puseram-me noutra máquina onde tinhamos de abrir as pernas e os braços – também acusou algo. Com uma voz muito rude, a agente perguntou-me de onde eu vinha. Eu disse que vinha da Turquia e antes que pudesse dizer que estava ali apenas para apanhar um voo de conexão para Portugal, um outro agente atirou-me contra a parede e revistou-me de uma forma que nunca fui revistado.. até as partes intímas me revistaram. Depois disto o agente insistiu que eu tinha alguma coisa no bolso, mas era apenas o bolso encurralhado. Tive de tirar o bolso para fora para ele ficar convencido e continuar a insistir que nada de errado se passava comigo. Conseguia ouvir a outra agente a chamar-me de burro e outras coisas. Por último, pegaram noutro detetor manual e esse já não detetou nada. Finalmente me deixaram seguir e nem pediram desculpas pela forma como me mal trataram.

Fiquei mesmo muito chocado com isto. Bastou eu dizer que vinha da Turquia para me tratarem desta forma. Sim, é verdade que eu pareço turco com a barba e todas as minhas feições e daí? Eles foram sem dúvida racistas neste momento. Na Turquia sempre me senti seguro e bem-vindo. Estive apenas 2 horas em Londres e senti-me completamente horrível por estar ali.

É triste e apenas prova o quanto ridículas as pessoas conseguem ser neste século. A tolerância é um valor que deve ser transmitido a todos. Estas pessoas claramente não sabem o que isso é. Para eles, qualquer pessoa que venha fora da Europa é terrorista ou manhoso de alguma forma. É apenas triste.

Apesar disto, gostei muito desta semana que passou. O avião está neste momento a preparar-se para aterrar.”

Uma das vistas de Istambul.

Assim foi a minha semana num Training Course na Turquia. Gostei muito desta rotina de escrever ao fim do dia ou quando tinha tempo livre. Dava-me algo para fazer e sinto que transmiti bem como me senti em cada momento.

Agora que já estou em Portugal, consegui refletir melhor sobre a semana que passou e concluí que, apesar de eu não ter gostado muito do Training Course, eu provavelmente vou-me inscrever noutro no futuro. Isto apenas por uma razão – as pessoas. As pessoas que se inscrevem nisto, são pessoas com as quais me consigo relacionar. Têm fome de aprender, de viajar e conhecer tudo e principalmente de conhecer outras pessoas. Toda a gente tinha uma grande paixão por se conhecerem uns aos outros e partilhar experiencias e histórias. Foi algo que me marcou pois sinto que nunca encontrei um grupo tão open minded como este.

O que mais me deixa feliz é que sei que em apenas uma semana fiz várias amigos. Principalmente aqueles com que estive nos últimos momentos em Istanbul.

Esta semana foi algo especial. Algo que não vou esquecer. Foi algo que caiu do céu, um desafio que abracei com algum receio mas que fico muito contente pelo ter feito. Saí de lá mais rico, com novas amizades e principalmente novas histórias. Nem todas essas histórias foram escritas neste artigo, apesar de já ir em 3700 palavras.

De qualquer forma, recomendo bastante que se inscrevam nestas iniciativas. Eu já tinha falado disto antes em “És estudante universitário ou jovem? Aqui estão 5 maneiras de viajares gratuitamente pela Europa e o Mundo”, contudo nunca tinha feito parte de um e agora posso dizer que vale a pena, nem que seja apenas para conhecer as pessoas e a cidade.

E vocês? Já fizeram uma Youth Exchange antes? O que acharam? Partilhem as vossas experiências!

Ofertas de viagens & dicas para poupares!

Inscreve-te e recebe várias ofertas de viagens, dicas para poupares em viagem, descontos e novidades todas as semanas.

Concordo em partilhar a minha informação MailChimp ( Mais informações )

A tua informação é confidencial e nunca será partilhada.